Últimas notícias

CÂMARA MUNICIPAL DE CAMOCIM CASSA MANDATO DO VEREADOR ERASMO GOMES


A Câmara Municipal de Camocim, realizou na noite desta quarta-feira, 28, uma sessão Ordinária Específica para julgamento de uma denúncia apresentada contra o Vereador Erasmo Gomes (PSL), por "quebra de decoro parlamentar e ausência de ética". 

No documento apresentado, foram destacadas 17 acusações, todas embasadas em falas do próprio Vereador, ditas em plenário ou via redes sociais. O parecer da Comissão Processante que foi aprovado por 2 votos e uma ausência, optou pela aceitação da denúncia, desta forma, cassando o mandato do Vereador. 

A votação foi para o plenário, o resultado final foi 13 votos pela cassação e 2 votos contra, sendo esses dois votos: Dr. Ismael Pinheiro e Júlio César. 

MANOBRAS PELA CASSAÇÃO
Orientados supostamente pelo deputado Sérgio Aguiar, a Comissão Processante colocou um dos vereadores que votariam contra a cassação de Erasmo como testemunha, desta forma, impedido de votar e sendo necessário a convocação do suplente. Que acompanhou a decisão da Comissão. O Vereador Erasmo Gomes, não compareceu a sessão por motivos de saúde, onde o mesmo passou recentemente por uma cirurgia. O mesmo também afirmou que irá recorrer da decisão judicialmente.

OPOSIÇÃO A FAMÍLIA AGUIAR AGUIAR 
Eleito em 2016 com 923 votos, Erasmo Gomes é sargento reserva da Marinha, e vem dedicado sua vida parlamentar por fiscalizar verbas públicas que entram no município e fazer denúncias contra a administração dos Aguiar, que comanda há anos a cidade de Camocim. 

Em 2018, com um intuito de "calar a boca" do Vereador, o líder do governo na Câmara Municipal, o Vereador Emanuel Vieira, fez um convite, no qual, o convidou para ser Secretário Municipal de Segurança Pública. Convite que foi recusado instantaneamente. 

DENUNCIANTE
A denúncia foi apresentada por Ray Fontenele (foto abaixo), 29 anos, ativista LGTBQ+, defensor da Liberdade do ex-presidente Lula e um dos coordenadores do movimento #EleNão, em Camocim, movimento esse que era contra a candidatura do então Deputado, hoje Presidente, Jair Bolsonaro (PSL). O Vereador Erasmo, também faz parte do PSL, sendo o Presidente Municipal, em Camocim. Nos bastidores da política de Camocim, circula uma suposição que que um dos articuladores da cassação e que esteve junto com o grupo Aguiar foi o vereador Marcos Coelho, sendo Marcos, citado em inúmeros itens da denúncia.



SOBRE A "DENÚNCIA"
Não precisa ser cientista político, nem ter doutorado em direito, basta apenas estar em sã consciência para saber que tudo foi muito bem articulado, os vereadores da base da Prefeita Mônica Aguiar, só queriam um "motivo" para prejudicar Erasmo, e viu em Ray, uma ótima cobaia.

Nenhum comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.